Pudor

Tela de Edgar Degas


Só eu posso me despir dos meus anseios
Estar nua refletindo a penumbra da madrugada
Cometer em pensamento quase tudo que dizem ser pecado
E me vestir sozinha quando o primeiro raio de sol
Evaporar meu orvalho tímido e incontrolável
Que adentra umedecendo-me todos os sentidos.

53 comentários:

Pistoleiro Corvo disse...

Que a liberdade seja o seu guia nessa maravilhosa viajem.
Fantástico Lara, e como sempre, adorei.

Parabéns e abraços!

Batom e poesias disse...

Feminino e sensual, ainda que tenha que vestir-se do pudor quando o dia amanhece.

Exubera sempre, Lara.
Bjcas

Ross

Lily disse...

Universo feminino. Íntimo. Sensual.
Aguado e úmido! Escondido...

Adorei!

Noslen ed azuos disse...

...eu tiro retratos para (tentar) fazer poesia, vc cria retratos com sua poesia... esta mesmo, saiu andando da tela me deixando atônito, besta mesmo rsrs.

bjs
ns

Ribeiro Pedreira disse...

cada gota do silente orvalho denso e cristalino é valorizada quando a nudez solitária é imprescindível.

Valéria Sorohan disse...

Lindos versos. delicadeza feminina à flor da pele.

BeijooO*

Sandra Botelho disse...

Somente a ti pertence esses sentires...
Bjos achocolatados

Assis Freitas disse...

Bandeira tem um poema que diz:
"Quando estás vestida ninguém imagina os mundos que escondes sob tuas roupas/mas a noite é nua/ e nua na noite/palpitam teus mundos/e os mundos da noite".

beijo-te

Zélia Guardiano disse...

"Só eu posso me despir dos meus anseios"
Um poema que começa assim, tão lindamente, tinha de resultar nesta maravilha!
Belíssimo, amiga Lara...
Como tudo que escreves, sempre...
Bravo!!!
Beijo, querida

Braulio Pereira disse...

um prazer acordar com o perfume
dos teus poemas.

apaixonas a minha alma


lindissimo..
sensivel...
sublime.

se feliz bom fim de semana

beijos!!

Mirze Souza disse...

Linda afirmação, Lara!

às vezes nos arrancam, (a vida) estes anseios tão íntimos e nossos!

Magnífico!

Beijos

Mirze

Jorge Pimenta disse...

procuro-me neste despe-veste que está para além da roupa... curiosamente, foi entre o corpo e a alma que me persegui no último texto postado no viagens de luz e sombra...
um beijinho, poeta imensa!

Luiza Maciel Nogueira disse...

é sempre linda a tua poesia
com tanta sensibilidade.

bjs

Wania disse...

Larinha

A mulher se descobre para descobrir-se!


Liiiiinda poesia!
AMEI d++++++

Bjs, minha querida

Domingos Barroso disse...

Que dure bem
e lentamente sinta
toda a doce e bela
concretude da alma
através dos sentidos.

Beijo carinhoso.

Úrsula Avner disse...

Oi Larinha,

poema tão intenso, bonito e arrebatador quanto a tela postada... Bj com carinho.

A. Reiffer disse...

A integração entre o texto e a imagem foi louvável. Parabéns! Abraços!

Por que você faz poema? disse...

Depois de uma madrugada de tantos pensamentos “proíbidos”,
o dia a encontra sozinha, em seus últimos orvalhos.
Mesmo que não totalmente despida de desejos.

Lou Vilela disse...

Reverbera beleza. ;)

Bjs

Hanny Writter disse...

Inexoravelmente insólito! não existe definição! :) Como sempre, está ótimo :)

Ava disse...

As madrugadas... ah, essas madrugadas, em que nos despimos para nós mesmas...


Barbaramente belo!


Beijos

Grafite disse...

"Cometer em pensamento quase tudo que dizem ser pecado"

que lindoooo!
amei...

beiijo
*.*

nydia bonetti disse...

Bem Maria Clara... Lindo Lara. Beijo.

tonhOliveira disse...



LARAMARALindo!

angela disse...

Uma intimidade que não tem testemunha nem ´possível partilha nesse encontro consigo mesma. Muito bom
beijos

Mário Liz disse...

dois pares de olhos perdidos ...

em dez sentidos.


(lindo o texto. íntimo e forte, como todo poema deva ser.)

encantado.

Paulo Jorge Dumaresq disse...

"Evaporar meu orvalho tímido e incontrolável
Que adentra umedecendo-me todos os sentidos."
Isso é lindo, Larinha.
Você sempre surpreendendo com sua fábrica de (bons) versos.
Bjs e felicidades.

Renata de Aragão Lopes disse...

"Cometer em pensamento
quase tudo que dizem ser pecado"

UAU!
Um poema à flor da pele.

Beijo,
Doce de Lira

Marcantonio disse...

Poema sensualíssimo em amplo sentido. Um contraponto de tensões entre a nudez interna e a nudez física. Belo e sutil.
Com relação à imagem, não é curioso que Degas, que tão bem retratou a intimidade da nudez feminina, fosse considerado um misógino? Um voyeur?

Beijo.

Albuq disse...

Oi Lara,

sensual a imagem, sensual teu poema. Feminino, verdadeiro, sobre esses anseios tão bem escondidos e tão cometidos em pensamentos.

bjs, ótimo fds!

Ianê Mello disse...

Só você pode...

Lindo!!!

Bjs.

Cris de Souza disse...

Tal pudor caiu feito bruma, aclarando todos sentidos...

Beijos, absoluta!

(Então, inspiramo-nos)

Mário Lopes disse...

Lindíssimo o teu poema, Lara!
Intimista, suave, delicado. Como o ligeiro tremular da lua nas águas calmas da madrugada, assim os ocultos desejos nascem, ansiosos por serem os rios que começam na garganta e ardem na pele nua, cegos de febre, até ser dia.

Bem escolhida a tela da mulher nua depois do banho de Degas, ou não fosse ele um mestre da intimidade feminina. Intimidade essa que a tua poesia tão bem expôs, em todo o seu pudor, banhada.

Beijo terno.

Barbara disse...

Sim - só você.
A penumbra - somos nós.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Sua feminilidade transpira através de seus versos...

abraço e agradecido pelas visitas ao Rembrandt

Daniela Delias disse...

Tão feminino, tão intenso e tão delicado também!!! Lindo, Larinha, como sempre...bjo, bjo!!!

Lídia Borges disse...

Sensualidade tocada de poesia e pudor...

Uma escrita que surpreende sempre pela segurança e criatividade.

Um beijo

Andrea de Godoy Neto disse...

Sutil,sensual e intenso! Esse lindo despir-se, de feminilidade a mostra, alma intimista

adorei, Larinha!

beijos e beijos pra ti

Adriana Godoy disse...

Bonitíssimo! Beijo

Canteiro Pessoal disse...

Lara,

'O dia abre sua mão
Três nuvens
E estas poucas palavras'

DE SEMENTE PARA UM HINO.

[Paz, Octavio]

Priscila Cáliga

Livinha disse...

Lara,
Esse momento é unico, onde somos cumplices de nós mesmos, junto a natureza de nossos instintos no profundo de nossos extases...

Lindo!
Bjs

Livinha

Lua Nova disse...

Despudoradamente lindo!
Li, reli, treli e achei cada vez mais lindo!
Bravo!
Estou te seguindo, inevitavelmente, aqui e no teu blog pessoal.
Te convido a conhecer meu espaço.
Uma semana que faça jus a beleza quase lírica desse teu poema-sonho.
Beijos.

Angélica Lins disse...

Quem dera toda intimidade e intensidade se despissem assim...
Belíssimo!

Lara,
Você não faz idéia do quanto me alegrou o seu comentário em minha postagem "Digo-te sim", dizendo que minha forma de me entregar te inspirava. Foi uma honra saber que gosta do que escrevo, pois admiro-te muito e para mim tua presença e palavras, foram um grande incentivo para continuar.

Deixo-te meu abraço!

Paulo Rogério disse...

Os sonhos consentem. A poesia prolonga. A aurora projeta a doce sombra de nossos instintos...
Beijo doce!

Francy´s Oliva disse...

Sensibilidade a flor da pele.
Beijos e uma ótima semana

Lou disse...

Muito bom Lari. bjs da tia Lou

dade amorim disse...

Lindo e feminino até o extremo.

Beijo beijo

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Uh.me.descer... íntima.idades... pá.cá ou lá... nem bem importa... se é liberdade ;) Bjo, Laritcha! Belíssimo!!!

AC disse...

Gostei muito dessa viagem ao âmago dos teus sentidos...

Beijo :)

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Laríssima,
"Cometer em pensamento quase tudo que dizem ser pecado..."
Cometa sempre versos assim, moça da meteorologia que só faz tempo bom...

Abraço cometido,
Pedro Ramúcio.

Jefferson Bessa disse...

Sair
abrir-se
feito um raio de sol!
Que beleza! Parabéns, Lara!
Jefferson.

Flor de Lys disse...

A mulher sempre úmida... se banha da noite e dança com a lua...

Bela tecitura... gosto disso... sucintamente.

Carinhos! =)

Álly.

http://floresdevenus.blogspot.com/

Maurélio disse...

Simplesmente sensual Lara, que seu voo seja sempre abençoado.
Bjsss