Prenúncio



de tudo há sinais:
amor que veste colete
caminha pro cais.


A despedida se inicia bem antes do fim. (Twitter)


Publicado em 15 de abril no Doce de Lira.

2 comentários:

MIRZE disse...

Prenúncio, quase profecia, Renata!

Afiadíssimo poema!

Beijos

Mirze

Sam disse...

Pra se salvar de si?
Pra mergulhar no outro?
De qualquer forma, sempre estará a salvo.

Meu carinho
Samara Bassi