"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara" *

.

Exploding Clock - Salvador Dali

 

Ao passante

Implacável o tempo sobre todos
os nomes. Fazer dele uma arte
espanto, extensão...
 
Lou Vilela

Imortal

Corta, perfura, remenda...

Da emoção, nasce o poema
No caos, morre o poeta.
Fim do primeiro ato!

Corta, perfura, remenda...
A cada poema,
Renasce do caos, o poeta.
Fim do segundo ato!

Corta, perfura, remenda...
Imortal é o poema,
A alma do poeta
Fim do espetáculo!



Lou Vilela in Nudez Poética 

* Citação no título: José Saramago.


.

15 comentários:

Wania disse...

Lou

Morrer Poeta e renascer Poesia!
Aplaudo de pé...


Lindíssimo, Lou!
Bjs

Assis Freitas disse...

e esse infindável tecer vai nos eternizando em palavras,

cheiro

Mirze Souza disse...

A mais bela homenagem que li â Saramago!

O poeta rebasce sempre em seus POEMAS!

Lindo, Lou!

Beijos

Mirze

Adriana Godoy disse...

Reparei no poema e vi que é de muita sensibilidade e beleza. beijo.

Albuq disse...

"Corta, perfura, remenda..." renasce, poeta e poesia!

linda,
bjs

Hercília Fernandes disse...

Lou,

não há como não reparar na beleza e profundidade dos seus versos. Você é uma artesã das boas letras.

Adorei o post, poemas ricos em matéria poética, resistentes à ação do tempo.

Beijos,
H.F.

Lara Amaral disse...

Demais, Lou! Não podemos ser fênix para sempre, mas o poema está aí, eternamente.

Beijos.

Patrícia Gonçalves disse...

Lou, lindo, lindo, tenho que concordar com a Mirze, a mais linda homenagem a Saramago!

bjs

Juan Moravagine Carneiro disse...

Rimbaud dizia que a realidade é uma farsa aonde todos sós devemos representar...

Por outro lado uma canção diz que o espetáculo nõa pode parar...
Eu fico com seus versos que sempre me encantam

agradecido pelas visitas ao Rembrandt

ABRAÇO

Jorge Pimenta disse...

lou, não conhecia este teu espaço que imagino seja plural. cheguei cá, por coincidência, há minutos, quando visitei o blogue da lara. entretanto, e passando pelo teu, vi a conexão. belíssimo espaço; fantásticos textos! tomei a liberdade de seguir.
um abraço!

Úrsula Avner disse...

Oi Lou,

Olhei, reparei e concordo com a Hercília- você é uma artesã das boas letras... Mais uma linda postagem que certamente não simboliza o espetáculo final... Outros tão belos virão. Bj,

Úrsula

Wilson Torres Nanini disse...

Lou,

essa é uma fonte imperecível. Ainda que no caos transite, o fim (que não é fim) é espetáculo tanto quanto o pensar (o sentir) que deflagra o poema.

Abraços!

Lou Vilela disse...

Olá, meus queridos!

Muito feliz com a presença de cada um de vocês. ;) Obrigada pelo carinho e consideração!

-----------

Imagino que a maioria tenha acompanhado pelos jornais as consequências das fortes chuvas nos estados de AL e PE. É muito triste observar o sofrimento de tantas famílias. O sentimento é de impotência. Ajudem no que for possível - doações, divulgação, etc. Há locais completamente destruídos, onde falta, inclusive, água potável.

Alguns locais para onde podem ser enviadas ajudas: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/06/veja-como-ajudar-vitimas-da-chuva.html

-----------

Caro Jorge,

Sou uma das vozes que integram o blog Maria Clara: simplesmente poesia, projeto pilotado pela poetisa Hercília Fernandes e que, em breve, estará à disposição do público em livro. Caso queira conhecer mais um pouco sobre o assunto, é só acessar http://novidadesevelharias-fernandeshercilia.blogspot.com/2010/03/maria-clara-universos-femininos.html.

---------

Um grande abraço a todos,
Lou

Talita Prates disse...

Salvífico...

Um bjo!

Adriana Karnal disse...

Lou,
um espetáculo...Poesia para um grand finale de Saramago.