* quando se abre a flor *

vestes de um novo tempo

cobrem a nudez do chão

revelam a dança do corpo


trepida paixão incólume


deliram flores folhas


e o corpo se contorce


estende-se raio de sol


até a noite sentir vontade


de valsar em vestes claras


Úrsula Avner

* em homenagem ao meu novo amor...

7 comentários:

Daniela Delias disse...

Arrepio!!! Que esse novo amor traga outros tantos! Bjoos!

✿ chica disse...

Maravilha e fico feliz por ti, Úrsula! beijos,ótimo AGOSTO! chica

Talita Prates disse...

De arrepiar, sim!

Viva o novo amor!

Um beijo, querida.

Talita
História da minha alma

Adriana Godoy disse...

Fico feliz por vc ter encontrado seu novo amor. O poema revela sua felicidade. Beijo

Adriana Karnal disse...

Úrsula,
a poesia é mais leve quando a gente está amando...uau, amiga, curta o momento, isso é tão raro.

Evandro L. Mezadri disse...

Muito linda e suave sua poesia.
Grande abraço e sucesso!

Wania disse...

Úrsula

Só o Amor sabe fazer dia das noites!
Lindo demais!


Feliz por ti,
Bj grande, minha querida amiga!