* visão de mundo *



arte flying to the liberty

by: Mel Gama


eis que piso estranho chão

terra, pedra, cimento
caminho de ermitão

nas estradas sigo atenta
conduzo risos e ais
até que o anjo toque a trombeta

o ser humano nasceu pois digo
para estar só

a solidão é um estar consigo
até que se condense o pó

conviver é apenas subterfúgio

na solidão o ser percebe-se inteiro
conhece a si mesmo e se escuta
percorre sombras atrás do luzeiro

a multidão é campo de refúgio

quando por fim
jogarem ao mar
sobras da vida enclausurada
na urna do que fui

aglutinarei a outros segredos
do que se entendia amar
partículas flutuantes na enseada
fragmentos da perene vida que flui



Úrsula Avner


17 comentários:

Assis Freitas disse...

a solidão como condição ontológica do homem, mas também como uma condenação mítica, sua poesia jorra significantes. abraço

Albuq disse...

ahhhhhhhhhh essa solidão, como acho difícil viver com ela....

bjs

Mirse Maria disse...

Muito linda, essa visão do mundo.

Não consegui enxergar solidão no texto, mas como o título sugere, vê-se bem uma visão do mundo.

Clausura, multidão e quando o "estar só" é um encontro consigo mesma!

Belo, Úrsula!

Beijos

Mirse

Adriana Godoy disse...

Sem dúvida, foi um dos poemas de que mais gostei de sua autoria. O tema, embora recorrente de tantos poetas, é inesgotável e vc soube colocá-lo em belos versos. Parabéns. beijo.

Lara Amaral disse...

"conviver é apenas subterfúgio"

Um poema sábio, deixa-nos cheios de alumbramentos. Incrível!

Beijo.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belo olhar....intenso e profundo...


...As vezes acho que o segredo é não confundir solidão com isolamento...

Pablo Rocha disse...

Solidão é algo interior! Podemos estar entre milhares e sermos sós. As vezes a queremos, as vezes a refutamos. Independente disso, sua poesia tem um q de reflexão subjetiva lindíssimo. Demonstra uma batalha de alma que convida à leitura! Minha admiração!

BAR DO BARDO disse...

Nunca estamos sós... A poesia nos acompanha.

Úrsula Avner disse...

Olá Assis,

agradeço seu rico comentário que acrescentou muito ao entendimento do poema. Grande abraço ;

Oi Albuq,

de fato, por vezes é muito difícil estar só mesmo quando acompanhados, mas em muitos momentos a solidão é o meio mais eficaz de se promover reflexão e crescimento pessoal... Os poetas que o digam. Um abraço;

Oi Mirse,

obrigada por sua presença e comentário sempre carinhosos. Bj ;

Oi Adriana,

agradeço muito sua apreciação tão amável acerca do poema. Fiquei muito feliz com seu comentário. Bj;

Ei Lara,

agradeço sua presença sempre amável e gentil comentário. Bj;

Juan e Pablo,

de fato há diferenças entre solidão e isolamento e realmente podemos estar sozinhos mesmo acompanhados. O isolamento afasta as pessoas do convívio social enquanto a solidão, em muitos momentos, é necessária para o fortalecimento desse convívio. Acho que o mais importante é saber estar só, é saber estar consigo mesmo e apreender da solidão o necessário para ser alguém melhor e mais maduro. Um abraço aos dois e obrigada pelo carinho ;

Oi Henrique,

de fato a poesia nos acompanha... Quanto a mim , é uma de minhas melhores companhias... Obrigada pela presneça e comentário. Um abraço,

Úrsula

Nydia Bonetti disse...

... e estamos todos a sós diante desta vida tão comprida vinda antes de nós ninguém no iníco ou no fim ... Belo, Úrsula. beijos

Dalva disse...

Solidão faz bem... desde que não seja isolamento.

Linda poesia, Ursula!

Bjs.

Graça Pires disse...

"A solidão é como o vento"...
Beijos.

Lunna Guedes disse...

A solidão é o vento que me abraça e a poeira da estrada que se levanta, é o ponteiro do relógio que para quando a pilha acaba e eu sigo por essa estranha de destino muitos...
Bacio

Lou Vilela disse...

Um poema que transcende, minha cara!

Beijos

Úrsula Avner disse...

Nydia, Dalva, Graça, Lunna e Lou,

agradeço o carinho de cada uma de vocês através dos comentários tão gentis. Bj afetuoso,

Úrsula

Hercília Fernandes disse...

Úrsula,

seu lirismo é de uma beleza reflexiva que encanta e produz múltiplas aprendizagens.

Belos ensinamentos poéticos você nos traz, destaco as paisagens:

"o ser humano nasceu pois digo
para estar só"

................

"na solidão o ser percebe-se inteiro
conhece a si mesmo e se escuta
percorre sombras atrás do luzeiro"...

Belas reflexões, minha querida. Parabenizo-a pela visão de mundo compartilhada!

Beijos,
H.F.

Úrsula Avner disse...

Oi Hercília,

obrigada por seu comentário tão rico e envolvente. Bj grande,

Úrsula