Sobrei

Iman Maleki


Meu amigo me esqueceu

Ele é invisível como eu

mas conversamos, brincamos..... e,

em inaudíveis vozes nos encontramos

Conversamos, porque sozinho,

não tem graça jogar aviãozinho

meu amigo esqueceu que é invisível

como eu. Seu nome muda conforme o dia

à noite contamos medos e agonias,

mas agora que ele me esqueceu...

sobrou-me eu.



27 comentários:

Mai disse...

Os amigos invisíveis gozam de maior liberdade que nós outros que ficamos. Segue a vida dos nós conosco.

beijos, Mirze

Mirze Souza disse...

Mai!

Na verdade, deve ser muito bom ter amigos invisíveis.Eles não nos magoam.

Amiga querida, grata pela presença e comentário!

Beijos

Mirze

Adriana Godoy disse...

Ah! Mirse, esse poema me fez lembrar de tantas coisas. Quantos amigos invisíveis temos? Como são necessários! Lindo esse poema. Beijo.

Zélia Guardiano disse...

Lindo poema, Mirse!
Delicado como pluma sobre cetim...
E trata de um tema mais do que importante: o amigo invisível.
Sem ele
Que seria de mim?

Um grande abraço

Jéssyca Carvalho disse...

Ah, os amigos invisíveis, tão amigos e tão livres, que algum dia, inevitavelmente vão nos decepcionar com sua ausência...
Mas é nesse ponto que, pra nossa felicidade (ou infelicidade), encontramos o que há de mais precioso em nós mesmos: o poder que brota da solidão, a descoberta da própria companhia!

Amei amei e amei teu poema!
Você me fez pensar e eu adoro muito isso, hehe'

Parabéns e um beijo!

Lara Amaral disse...

Mirze, vc é uma eterna criança de alma, mas escreve como gente grande.

Beijo caramelado.

Albuq disse...

Oi Mirze! Achei a coisa mais linda do mundo suas palavras nesse poema... você trouxe de volta dos amigos imaginários de muita gente, e a solidão quando a gente cresce e ele tem de ir embora... muito bom lembrar isso.
Lindo demais! bjs

G. disse...

Dá para lembrar muito o tempo de criança em que a imaginação sempre está a mil por hora! Amigos invisíveis, viagens fantásticas, lutas contra dragões mirabolantes... Parabéns, Mirze Souza pelo texto muito lindo e tocante... Sempre que leio algo assim, logo penso em minha filhinha que amo tanto e que ainda está nessa fase de "aventuras"... Que pena que eles crescem! Abraço carinhoso, obrigado por esse espaço de tanta sensibilidade...

Adriana Karnal disse...

Mirze,
esse amigo imaginário pode reaparecer a qualquer hora...é parte das surpresas da vida.na poesia tudo pode.bj

Mirze Souza disse...

Dri!

É verdade! Lembranças, às vezes reais
dos tempos de criança. Eu conservo pelo menos um ou dois amigos invisíveis.


Como todos vocês.

Grata, amiga, pela presença e participação!

Beijos

Mirze

Mirze Souza disse...

Zélia!

Que bom vê-la aqui! E contar que continuam conosco as aventuras invisíveis dos amigos.

Grata amiga, pela presença e comentário!

Beijos

Mirze

Mirze Souza disse...

Jessyca!


Até para descobrirmos a nós mesmas, é necessário passar por essa fase! Você falou tudo!

Grata por sua presença, participação e comentário!

Beijos

Mirze

Mirze Souza disse...

Lara linda!

Dizem mesmo que sou ou tenho a alma de criança. Quem sabe por isso ainda tenha amigos invisíveis...


Beijos, grande amiga!

Mirze

Mirze Souza disse...

Amiga do Blog Albuq....!

Que bom que gostou. É isso aí que você tão bem pronunciou.

Adorei recebê-la nesse espaço!

Beijos

Mirze

Mirze Souza disse...

"G" !

Que bom que gostou e que pode dividir conosco a presença sempre significante de uma criança, no caso sua filhinha.

Amigos invisíveis, ou sonhos devemos deixar sempre fluir.

Grata pela presença, comentário e participação!

Forte abraço!

Mirze

Mirze Souza disse...

Adiana!

É verdade! Tudo é possível na poesia.

Mas é sempre bom ter amigos, mesmo invisíveis.

Grata, amiga pela presença e participação!

Beijos

Mirze

Juan Moravagine Carneiro disse...

As vezes me vejo criando certas amizades "invisiveis" com pessoas reais...mas no fundo não é reciproco...nõa sei se me entende...

belo poema!

Mirze Souza disse...

Juan!

Bom recebê-lo nesse espaço!

Concordo com você! Somos todos reais e no entanto invisíveis. O importante é sermos amigos.

Grata amigo, por sua presença e participação!

Beijos

Mirze

Sarah Slowaska disse...

Coisa mais linda, eu ADOREI, sinceramente. Acho que os meus amigos invisíveis cresceram comigo.

*
beijinhos

Mirze Souza disse...

Sarah!

Fico feliz que tenha gostado e concordo com você.

Não deixemos que a criança, o amigo invisível e/ou os sonhos, saiam de nossas vidas!

Agradeço sua presença e participação!

Beijos

Mirze

Wania disse...

Mirse

No fim sempre sobramos nós... a sós!


Linda poesia!

Bjs, minha querida!

Mirze Souza disse...

Wania. que bom que veio!

Obrigada amiga!

Sua presença é sempre bem vinda e eu agradeço!

Beijos

Mirze

Hercília Fernandes disse...

Mirse,

amigos invisíveis provocam belos (e)feitos, sobretudo poéticos.

Isso não é um fenômeno exclusivo da infância. Poetas, por possuir alma de criança, mantêm bom relacionamento com esses seres ocultos.

Às vezes, a vida cotidiana leva a adormecer certas experiências. Mas, creio eu, o amigo [in.visível] acompanha as artimanhas do poeta.

Um beijo, minha querida.
H.F.

Mirze Souza disse...

Hercília!

Que bom que veio!

Obrigada por comparecer, comentar e me presentear com este belo comentário.

Beijos

Mirze

Úrsula Avner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Úrsula Avner disse...

Oi Mirse,

delicada descrição poética de fantasias infantis. Bj,

Úrsula

Lou Vilela disse...

O imaginário é um campo de possibilidades e reflexo do nosso olhar.

Bjs