manoel-ando

Nina Rizzi, colecionando nuvens, Fortaleza/ CE, 2010.

nina rizzi

transbordam em mim reminiscências:
águas que me secam, redundâncias de me sentir.

se o ocaso está repleto de ciscos, reticências,
serei eu mais que o completo vazio?

(guardo meus olhos na sarjeta mais distante e suja)
*

11 comentários:

Lara Amaral disse...

Poema vácuo, de belo vazio.

Beijo.

Hercília Fernandes disse...

Ai, Nina, adoro seu manoel-ando. As reminiscências, redundâncias, sarjetas e tudos. Muito bom poema!

Um beijo, minha querida!
H.F.

Albuq disse...

Gostei do poema...

"...serei eu o mais completo vazio?"

bjs

Adriana Karnal disse...

Vc manoela ninando...

Úrsula Avner disse...

Oi Nina, belo poema, de uma profundidade lírica gritante... Um abraço.

Mirse Maria disse...

Maravilha, Nina!

"Águas que me secam"....

Adoro seus sentires.

Beijos

Mirse

Daniel Moraes disse...

Poema bonito e triste. Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Adriana Godoy disse...

Então, Nina. É muito lindo e triste. Bj

dade amorim disse...

Se o vazio é assim tão belo...

Beijo, menina.

Lou Vilela disse...

Belo poema!

Bjs

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Nina,
Sopros de barros: ouço-os até aos ossos do difícil ofício de escrever versos, vício que temos desde o início do cio nascido dentro da noite veloz...

Abraço poético,
Ramos do cio.