Viver?



Matisse-nua azul



Preciso imaginar a natureza. Já que não posso vê-la.

Preciso lembrar como era o amor. Se já brotava em dor...

Preciso saber como se faz para sorrir. Esqueci!

Preciso saber quem sou agora. Já que de mim, me perdi

Preciso inventar uma vida, onde os valores enfim,

possam renascer do nada, que deixaram num cantinho

de uma alma inexistente, por não saber do carinho.

Preciso aprender como se faz um laço,

Pois esqueci o sabor e o calor de um abraço.

E é assim caminhando nesse fio que acaba em nó

Que a existência se faz


S

Ó



20 comentários:

Hercília Fernandes disse...

...é assim caminhando nesse fio que acaba em nó

Que a existência se faz


S

Ó


Belas frases de fechamento, Mirse. Sábias e poéticas palavras você nos traz, muito gostei de lê-las.

Forte abraço,
H.F.

Lara Amaral disse...

S
Ó
S

Suas palavras sempre me afagam, amiga. Vc entra bem aqui dentro.

Beijo para vc, Mirse querida!

Mirse Maria disse...

Hercília!

Seu comentário é sempre um ensinamento!

Obrigada,

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

É isso, Larinha!

Nascemos sós, morreremos sós, seria ótimo se na vida não o fosse. Mas nem sempre é. Mesmo assim, somos felizes.

BeijãO QUERIDA!
Mirse

Wania disse...

Mirse

Viver: carreira solo, com algumas parcerias, umas boas, outras nem tanto!

Belas e profundas palavras... o desfecho da poesia é muito bonito!

Bjão, querida!

Mirse Maria disse...

Obrigada, Wania!

Na carreira solo da vida, nem sempre há escolhas.

Grata amiga pelo seu comentário e bela presença@

Beijos

Mirse

Úrsula Avner disse...

Querida Mirse,

Não me canso de dizer que admiro muito sua sensibilidade e delicadeza poéticas. Seu poema de caráter existencialista e com esse tom melancólico tão bem versejado, é admirável ! Bj com carinho,

Úrsula

Ava disse...

"...Preciso aprender como se faz um laço,

Pois esqueci o sabor e o calor de um abraço."

Suspiros e mais suspiros...

A solidão está impregnada em cada palavra desse poema e nos invade com a força de um tufão.

Mirse, como é bom ler algo assim, tão simples, tão real, tão presente em nossa vida...

Bejos!

Priscila Rôde disse...

Li esperando o desfecho belíssimo e você o fez lindamente. Adorei!

Mirse Maria disse...

Úrsula,

Obrigada, querida! Isso me dá ânimo para continuar. Tendo uma incentivadora como você.

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

Ava,

Essa é a realidade da maioria das mulheres.
É tranquilo falar o que se sentye,

Mesmo assim agradeço os destaques e por ter lhe oferecido uma leitura aprazível.

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

Oi Priscila!

Já deves estar acostumada com esse gênero. O desfecho seria inevitável.

Agradeço sua delicada e atenciosa leitura!

Beijos

Mirse

tania não desista disse...

em poesia fica mais suave a realidade!
pode ser assim!...um dia olhamos com olhar diferente...e resta pouco
do antes.
no agora... engatinhar de novo...descobrir outras formas...
advinhar soluções...
sós ...seremos nas escolhas...caminhemos...
bjos mirse ...muito ,muito bonito!
bjus
taniamariza

Daniel Moraes disse...

Há ensinamentos que se aprendem só. Tem texto novo no Sub Mundo. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Mirse Maria disse...

Tânia Marisa!

Muito gratificante vê´la aqui!

Seu comentário faz jus à realidade de muitas mulheres.

Grata pela presença, amiga!

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

Daniel!

Acredito que tudo se aprende só. Amigos como você, assimilam e ajudam!

Grata pela presença e comentário!

Beijos

Mirse

Rafa disse...

Mirse, é preciso poesia como essa. beijo.

Adriana Godoy disse...

Onde se lê Rafa, leia-se Adriana. bj

Mirse Maria disse...

Rafa,

Obrigada, amigo! Quase ninguém pensa assim!

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

DRI querida!

Como sempre suas impressões e presença, me deixam feliz.

Agradeço!

Beijos

Mirse