Prostrada


queres a presença
o detalhe do toque
a sugestão do vento
ao roçar a pele áspera

encontraste uma parte
do vazio que ensandece
no contato de teus dedos
que abriram a ostra seca

onde fica a razão quando
na ardência imaterial
perde-se do desejo
a dimensão?




*Detalhe da tela A Pérola da Poesia, de Sr. do Vale

43 comentários:

Sr do Vale disse...

APICE.

Mirse Maria disse...

Maravilha de poema, Lara!

Retrata o nos mundo, os detalhes que nos cobram, o sopro que o vento não trouxe.

Assim perde-se a dimensão!

Parabéns, amiga! Vibro a cada poema seu.

Repito o Sr do Vale: ÁPICE!

Beijos

Mirse

Marcello disse...

O que dizer depois de "perde-se a dimensão" ?

Que palavras poderiam ilustrar o meu contentamento ao ler as suas ?

Querida como sempre sensacional seus poemas, e as ilutrações do Sr. do Vale são belíssimas.

Beijos

Lou Vilela disse...

Nesse contexto, é tarefa hercúlea mensurar a dimensão. ;)

Bjs

Albuq disse...

lINDO!

Leonardo B. disse...

[a brisa que faz acontecer o mundo, conspira com mais afinco dentro da palavra... disputa-a aos restantes elementos da natureza; e o poema vive por acontecer!]

um imenso abraço, Lara

Leonardo B.

Léo Santos disse...

As verdes a perda da dimensão pode fazer-nos encontrar o âmago da coisa!

Um abraço!

C@urosa disse...

baOlá minha querida amiga, que a dimensão da vida, do amor e do querer bem sempre impere, para uma vida feliz. O corpo agradece.

Paz e harmonia em seus dias,

forte abraço

C@urosa

Daniel Moraes disse...

Texto muito interessante. Tem texto novo no Sub Mundo. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Márcio Vandré disse...

A razão se perde, queimada pela chama da paixão.
A brasa lhe cega os olhos!
Beijo, Lara!

Talita Prates disse...

Muito bom, Larinha.

Um bjo,

Talita.

Paulo Rogério disse...

Em retrospectiva, é um traduzir-se: extenuante, irracional, mágico, surreal desejo transbordado!
Lindo, Lara!
Bj!

Úrsula Avner disse...

O Lara,

lindo poema, de grande valor existencial e com aquele encanto que a poesia traz e envolve aos que a amam ... Bj,

Úrsula

Wania disse...

Larinha


Perder-se para encontrar-se!
Liiiindo!


Bjão, querida!

Assis Freitas disse...

Há prostrações e prostrações, há um terreno de lassidão, há um vácuo na respiração, há um espaço em outra dimensão e há um silêncio prenhe de alternativas. Abraço.

reltih disse...

esa pregunta final, deja mucho que pensar.linda, hoy te leí más rápido. gracias.
besos

Livinha disse...

Ostra seca...
Eis que a pérola de ti,
perdida nesta dimensão?
não creio, muito além de ti
além da imensidão...

Forte demais minha amiga
Bjs
=)

RESILIÊNCIA disse...

Poetisa Lara

Você brilha em todos os lugares. Nos espaços de Maria clara, outras Maria, outras Laras. Será sempre nossa Poetisa Menina. um grande abraço

Geraldo de Barros disse...

a poesia nos revela, nos espanta; muitas vezes nos tira o ar, outras nos preenche. onde encontrá-la? como encontrá-la? porque buscá-la? poesia se vive, mesmo na morte, no silêncio, no vazio; mas para que poesia? para essa pergunta ainda há muito tempo, o que precisamos é viver a poesia e isso eu sei que vc vive Lara, mesmo no momentos difíceis, vc está ali, por isso eu acredito em vc!

Até menos!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Belíssimo, Lara... musical, cadenciado, leveza e suavidade como a do vento e das ondas...

Quanto à perda, um certo cabeludo sábio, que andava descalço nas ruas e que dizia que deveríamos amarmo-nos uns aos outros disse, certa feita: "é preciso perder-se para encontrar-se. Aquele que se perder, encontrar-se-á. E aquele que se julgar se haver encontrado, perder-se-á."

Beijo, menina!

;)

caverna disse...

Lindo poema Larinha. A perda da razão em detrimento da entrega da paixão é de fundamental importância para a manutenção da sanidade mental. Muitas vezes a razão só serve para mascarar e fazer murchar o que a gente sente de verdade. No fim das contas o que vale é o coração (é clichê, mas é verdade).

Você nasceu para escrever poesia, a cada dia me impressiono mais.

Desejo todo o sucesso do mundo para você!

Um beijo do Rafinha!

Ribeiro Pedreira disse...

não há razão que sobreviva a uma ardência promovida pelo leve toque dos dedos.

El Drac disse...

Precioso como siempre querida amiga, que tengas un bonito domingo me imagino que también estarás celebrando la semana santa. Un fuerte abrazo

A.S. disse...

A dimensão do desejo começa no veludo dos dedos, sobe as escarpas do infinito... e perde-se no coração dos minutos...

BeijOOO
AL

[ rod ] ® disse...

A razão, se há razão, deixa suas vestes na saguão da resiliência! e fica o desejo sem seu contraponto.

Bjs moça!

angela disse...

Sem razão, sem dimensão só resta paixão.
Lindo poema.
beijos

a magia da noite disse...

vaguear entre dimensões pode levar-nos a perder-nos de quem somos, dos sentidos que por vezes desejamos misturar num só sítio.

Primeira Pessoa disse...

hoje é dia de lara amaral.
hoje é dia de poesia!

FRANCISCO PARDÓ disse...

Hermoso poema! excelentes palabras! Besos de corazón

Renata de Aragão Lopes disse...

"onde fica a razão quando (...)
perde-se do desejo
a dimensão?"

Questão de alta complexidade.
Belo tema, Larinha!
Muito bem sugerido
e desenvolvido.

Beijo.

Adriana Godoy disse...

Lara, aplausos! Beijo.

Tarcísio Buenas. disse...

a razão vai pro espaço!

aproveito pra divulgar um blog: www.aventurasdedothyemingau.blogspot.com

bj

Silvana Nunes .'. disse...

Boa tarde, lara.
Não gosto de comentar poesias. para mim, a poesia é para ser lida e guardada na mente, cada um tem uma visão de mundo. A sua é belíeeima, parabéns.
Passando para dar uma espiada nas novidades e para me desculpar da ausência - estou sem computador, dependendo de lanhouse, coisa que detesto fazer.
Então, já preparou a sua pegadinha? O dia 1º de abril está chegando.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
Beijo grande.
Saudações Educacionais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Dilberto L. Rosa disse...

Áspero, triste e arrebatador, especialmente na última estrofe: um tapa! Beijo grande, poetisa!

Nydia Bonetti disse...

Impossivel, comensurar o vazio. Mas do pleno também se perde a dimensão. Melhor deixar soprar os ventos e seguir vivendo... Um beijo, Lara!

Lara Amaral disse...

Obrigada, amigos, por me acompanharem aqui também.

=)

Boa semana a todos, grande beijo.

Hercília Fernandes disse...

Lara,

amei o poema. Você nos possibilita uma viagem extrasensorial. Excelentes imagens!

Aliás, a sua parceria com o Sr. do Vale é sempre fantástica. Parabenizo aos dois!

Beijos,
H.F.

Renata Luciana disse...

Bem vinda! Chegar através da indicação do meu mais pleno amor, é mais que chegar , é estar.Obrigada pela tua 'entrega' a tua poesia vibra.

Abraço,

Batom e poesias disse...

Lara
estou me perdendo de você...
Estás aprofundando-se rápido demais para mim.
"onde fica a razão"?

beijos poeta
Ross

Lisa Alves disse...

A razão fica adormecida em outro universo. Vamos levitar aos prazeres!

tonhOliveira disse...



Este é tão profundo,
que "não deu pé"...

tchá!

~~~~~~~` ´~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~° o O ~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~O~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~°~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~o~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~tonho~~~~~~~~~

glub! glub! glup!

:)

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Lara, bela imagem...belo poema...Espectacular....
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Lindo demais, Lara! Poema de tirar o fôlego!
Parabéns, mil vezes parabéns!!!
Um abraço

PS- Adorei sua visita! Chegue sempre que puder. Sua presença é um esteio para mim...