Imperatriz

e quanto mais se investiga,
maior a intriga:

o que quer
a mulher
afinal?

ser vírgula
(parêntese)
e ponto final

ter pílula
(êxtase)
e gozo real

ser península
(ilha)
e terra continental


Renata de Aragão Lopes


Imagem: arcano A Imperatriz, de O Tarô Encantado,
de Amy Zerner e Monte Farber, Editora Siciliano.


12 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Quase um diálogo
com o poema de Úrsula
publicado logo abaixo.

Úrsula Avner disse...

Oi Renata,

De fato, a interlocução entre o meu poema e o seu é visível e cada uma a seu modo, especula através da poesia, este ser intrigante e complexo que é a mulher. Até Freud não conseguiu com toda a sua sapiência compreender a mulher... Ele disse- " a mulher é um mistério ". Seu poema, além de bonito , traz um jogo de palavras bem estruturado e rico dentro desta profunda temática, além de estar bem ilustrado por uma figura também misteriosa.

Bj,

Úrsula

Leonardo B. disse...

[espiral a palavra, enorme a interrogação... alinhada a palavra, escute-se!]

um imenso abraço, Renata

Leonardo B.

Marcello disse...

Renata...

Lindas palavras.

A essência feminina nas letras.

Wania disse...

Renata

Quanto mais se aprofundam, maior a fadiga... definir uma mulher não há quem consiga!!!


Lindo diálogo!

Bjs

Lara Amaral disse...

Nada melhor que mulheres aqui como vocês falando de desejos femininos.

Interessante o seu poema, Renata. Os jogos de palavra, sedução, em versos tão cadenciados. Muito bom!

Beijo!

Hercília Fernandes disse...

Renata,

belo poema!

Ele abre inúmeras perspectivas para investigação da poética feminina.

Creio que queremos, pretendemos, tudo o que seu texto poeticamente acena: o sonho e o concreto.

Parabéns pelo post, muito gostei!

Enorme abraço,
H.F.

Albuq disse...

Oi Renanta,
Li teu poema lindo, e cada vez tenho mais convicção de como somos enigmáticas e misteriosas, e do quanto nosso enigma desperta curiosidades sobre nós kkk
Bjs, ótima semana prá ti!

Renata de Aragão Lopes disse...

"o que quer
a mulher
afinal?"

breves pausas, desconexões
(total distanciamento da realidade)
a concretude máxima

Obrigada, Hercília,
pela leitura tão perspicaz!
De fato,
os nossos anseios oscilam,
a todo tempo,
entre "o sonho e o concreto".

Querida Úrsula,
muito grata pelo diálogo! : )

Leonardo B. e Marcello,
sejam bem-vindos
a este debate poético
sobre a complexidade feminina!

Wania, Lara e Márcia,
muito grata
por compartilharem
suas percepções!

Um beijo a todos vocês!

Lou Vilela disse...

Bela construção, Renata!

Abraços

Mirse Maria disse...

Excelente, Renata!

Vou pensar no que quero em tempo real.

Parabéns!

Beijos

Mirse

Talita Prates disse...

Amiga,
até os psicanalistas estão nessa busca há tempos! rs

Seu poema é primoroso.
Questiona de forma belíssima
- o que não é novidade pra vc.

Um bjo, Re.

Talita
História da minha alma