Do infinito

Imagem de Bella Kotak


A palavra falta.
Falha
Escapa
E
s
c
o
r
r
e

Esmorece

Engana
Escasseia.

Em meu peito,

o sentimento transborda.
Sobra
Inunda
Entorna
Extravasa.
Verte,
infinito.

Talita Prates

15 comentários:

Talita Prates disse...

Esse poema foi originalmente publicado no "História da minha alma", no dia 1º/06/2009.

Republico hoje aqui no "maria..." pela pertinência interna que ele atualiza em mim.

E mais uma vez, é "para ele"...

Um bjo antecipado a todos que vierem!

Talita.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

...mas por fim, ela retorna [ainda que retorne na pra dizer de si na própria fala da palavra que se esvai...]

;)

Albuq disse...

Lindo Talita!
Muito interessante!

Franzé Oliveira disse...

A palavra é o que é. "Palavra"
Forte, fraca.
Linda, desajeitada.
Áspera, macia.
Simples palavras...

Wania disse...

Talita

Quando os sentimentos transbordam, as palavras são desnecessárias. A linguagem é o infinito!

Muito liiindo, mais ainda pela pertinência interna que ele atualiza em ti.

Bjs, amiga!

Wania disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Moni. disse...

É mais que poema.
Tem forma, tem cor, cheiro...


Lindo, lindo, Talita!

Beijos!

Lara Amaral disse...

Já havia lido e, claro, amei reler. Seus poemas visuais são intrigantes e perceptivos.

Beijos, querida!

Bom fim de semana!

Úrsula Avner disse...

Oi Talita,

belas imagens poéticas numa construção literária encantadora com interessante jogo de palavras ! Bj com carinho,

Úrsula

Hercília Fernandes disse...

Talita,

seu poema "Do infinito" foi bordado em fios d'ouro.

Belíssimo texto, minha querida. A emoção estética expressa com maestria!

Beijos,
H.F.

Diana Valentina disse...

que coisa mais bonita.
bom pra ler no domingo de manhã
quando tudo tá meio cinza.
obrigada!
(a visita demorou, mas chegou!)

Renata de Aragão Lopes disse...

Tatá,

já conhecia o poema
lá do "História",
mas o reli
com imensa admiração!

Belíssimos
conteúdo e formato!

Beijo doce de lira pra você!

Daniel Moraes disse...

O que somos se não as palavras que nos descrevem e nos fazem descrever o Mundo e os sentimentos. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Lou Vilela disse...

Forma e movimento... Belíssimo, Talita!

Beijos

Mirse Maria disse...

Belíssimo, Talita!

Quando falta a palavra, escorre esmorece, transborda e nasce no peito uma outra palavra melhor, como esse seu poema em movimento que tudo diz!

Parabéns!

Beijos

Mirse