À noite


Há coisas que a noite tece-
o breu
as estrelas
o som do silêncio.

Há coisas que só à noite apetecem-
o vestido preto
o amor a meia luz
o trompete.

Depois da meia noite
nem todo príncipe desaparece.
É nesse que a noite repousa e desperta.
Há noites que enlouquecem.

Não há quem resista o sonho acordado.
( a culpa de toda paixão é, portanto, da noite)

19 comentários:

Adriana Godoy disse...

Xará, um poema tão lindo que brilha na noite. Coisa de arrepiar a alma e fazer chorar de belezura. Arrasou. Beijo.
"Há noites que enlouquecem."

Adriana Karnal disse...

Adriana,
valeu o comentário...sei que vc é uma notívaga inveterada,né?

BAR DO BARDO disse...

Algumas koyzas só à noite...

Gostei do seu texto, KARNAL!

Beijo!

Wania disse...

Nem toda noite adormece...


Tão bonito, Adriana!

Bjinho

mfc disse...

Há poemas que também apetecem... e este é um deles!

Hercília Fernandes disse...

Se há noites que enlouquecem, Adriana. Seu poema é a mais perfeita ilustração de como a loucura apetece à criação poética. Lindíssimo!

Sim... "depois da meia noite 'nem' todo príncipe desaparece" e a alquimia se realiza. A culpa, portanto, só poderia ser da noite...

Muito bom, minha caríssima. E a noite estrelada de Van Gogh enobrece a já então bela aquarela.

Beijos :)
H.F.

Úrsula Avner disse...

lindo e delicado poema Adriana, em versos cadenciados, ritmados e que trazem a noite como um rico elemento poético. A imagem postada adornou o poema de forma brilhante ! Bj.

Guilherme disse...

Bardo Pimenta,
Na sua fase "devassa' me explique melhor o que queres dizer?rs

Guilherme disse...

Wania,
é isso, são mil e uma noites em uma só...

Guilherme disse...

mfc,
obrigada, amigo... que bom que veio até aqui.

Guilherme disse...

Hercília, seus comentários me deixam tão feliz, amiga...sempre vês além dos nossos olhos.

Adriana Karnal disse...

Amigos,
quero pedir desculpas...os comentários acima de "Guilherme" são meus...o computador estava logado com o nome do meu filho e eu nem vi!!!

Adriana Karnal disse...

Úrsula,

gosto da forma como Lês o poema...sempre delicada.

Hercília Fernandes disse...

Menina, eu estranhei... (rsrsrsrs). Mas aí pensei: deve ser o novo sobrenome artístico da Karnal. Às vezes isso acontece...

Forte abraço, minha querida. Seu poema lunar é beautiful!

Beijos :)
H.F.

P.S.: Dia desses eu tb ia postando com o nome do meu filho, mas me toquei a tempo; já basta a M.C.... (rsrsrs).

Adriana Karnal disse...

Hercília,
novo sobrenome artístico???rsrsrs
foi sem qerer mesmo

Mirse Maria disse...

Excelente poema, Adriana!

Como a noite é bem poetisada aqui!

Só mesmo você, amiga!

Parabéns! Aplausos!

Beijos

Mirse

Lou Vilela disse...

Delicado, Dri Karnal, como tudo que escreves! ;)

Beijos

Adriana Karnal disse...

Mirse,
A noite é dos poetas,ora...é fácil falar dela...

Adriana Karnal disse...

Lou,
obrigada querida...vc é que é gentil.