A Mulher e o Dito


Psique - Maurice Denis


Sempre vítima e ludibriada,

assim é a mulher até o presente

Desde a expulsão do Paraíso

Desde os tempos de Dionísio

É ela a chaga, a presa, a impura

Psique, linda, inocente e pura

Ultrapassa a barreira, ascende,

Acende a lamparina para ver,

quem o adorado, quem o amado!

E pela ousadia que transcende

foi levada à morte. Deixa a vitória.


Da vida aos céus, foi sua sorte

A mitologia deixa no mundo

esse perfil desumano, insano

onde a mulher em sua maioria

lidam com essa dita, bendita

maldita, mas real em autoria


O tempo foi fiel ao mito, infiel

à mulher, se é o homem o bendito

O tempo, seu aliado, entorna o fel

na mulher, na amada, no doce sabor

da vida.Tempo não é mel nem licor de.


14 comentários:

Fred Matos disse...

Muito bom poema, Mirse.
Parabéns!
Beijos

Wania disse...

Mirse...
Bonito teu olhar poético sobre a mulher no tempo!

Gostei muito!

Bjs

Mirse Maria disse...

Fred!

Obrigada, amigo e poeta!

Fico envergonhada e lisonjeada ao mesmo tempo, ler um elogio vindo de um poeta com és.

Beijos

Mirse

Mirse Maria disse...

Wania querida!

Obrigada, e presente a mulher, ali estou a defendê-la!

Beijos, amiga querida!

Mirse

Úrsula Avner disse...

que lindo poema Mirse, muito bem versejado, trazendo uma temática rica com aspectos mitológicos presentes na ânima feminina. Lembrei-me de Carl Gustave Jung quando discorre sobre o inconsciente coletivo. Você descreveu poeticamente a beleza do gênero feminino e seus mistérios, trazendo não só o dito mas tamém o " não dito " pela mulher, pela alma feminina, nas entrelinhas de seu poema. BELO !!!! Bj.

Mirse Maria disse...

Úrsula!

Grata, amiga pela leitura atenta e percepção dos detalhes do poema!

Beijos

Mirse

Hercília Fernandes disse...

Um poema rico em contextualizações e sentidos culturais, Mirse.

A Úrsula expressa com bastante sabedoria e sensibilidade os conteúdos, implícitos e aparentes, de "A mulher e o dito".

Assino com a poetisa! Você nos brinca com um belo poema escrito em feminino, seja pela riqueza temática e/ou sugestão dos mistérios que permeiam a alma feminina.

Beijos,
H.F.

Mirse Maria disse...

Obrigada, Hercília!

Dou sempre o melhor de mim. Principalmento No MC.

Fico feliz que tenha gostado!

Beijos

Mirse

Adriana Godoy disse...

Essas mulheres...desde os primeiros tempos estão aí, sobrevivendo e fazendo a história. Belo e rico poema, Mirse. beijo.

Mirse Maria disse...

Oi Adriana!

Grata amiga por compartilhar meu registro feminino da história das mulheres.

Obrigada pela presença e comentário!

Beijos

Mirse

Adriana Karnal disse...

Mirse, tentei postar ontem e não consegui..bem, lá vai aogra: de uma beleza incomum, adoro mitologia, e seus mistérios reveladores das almas humanas...

Mirse Maria disse...

Oi Adriana!

Sabia que virias! My "sista", por isso lhe aguardei! Sei que como eu, ama mitologia.

Que bom que gostou!

Obrigada pela força amiga!

Beijos

Mirse

Lou Vilela disse...

Úrsula observou bem as nuances de seu poema. Bela construção, Mirse!

Beijão

Mirse Maria disse...

Oi Lou,

Grata pela presença e comentário!

Beijos

Mirse