Papillon



Sempre me pergunto
se há inspiração.
Sim, ela existe.
Se mexe dentro de mim
feito borboleta em ebulição...
e tal como uma
dura um só dia.

11 comentários:

Leonardo B. disse...

[adormece no dia para se recompor no seguinte: poesia tem um casulo especial...]

um imenso abraço, Adriana

Leonardo B.

Wania disse...

Adriana

...mas deixa as asas nos versos!



Linda poesia bem ao teu jetinho,
Bjs

Eduarda disse...

Adriana,

poesia está entranhada no mais profundo...deixar sair as palavras e sentir o vento a voar.

bj

Lara Amaral disse...

Para borboletas no estômago há uma teoria,
para mim é só poesia.

Beijo, querida.

mfc disse...

E esta durou o átomo necessário para que nos pudesses fazer sorrir!

Adriana Karnal disse...

Leonardo,
teus comentários sao poemas...que honra te ter aqui.

Wania,
poeta alada tu és...obrigada.

Eduarda,
q bom te ter aqui...obrigada pelo comment

Larinha,
a ideia q tenho de ti é essa: borboletas eternas no estômago

mfc,
fazia tempos q nao te via...q bom tê-lo aqui...bj

Mirze Souza disse...

Lindo, Adriana!

Delicados versos espiralados com a imagem.

Sua poesia é eterna!

Beijos

Mirze

Francy´s Oliva disse...

Olha que maravilha, pelo menos a sua dura um dia, há momentos que sinto que a minha nem um dia tem.
bjs

Sam disse...

Inspirar-se
se assim for
e é!
E vem de todo lugar:
brigadeiro na colher
sapato colorido no pé
borboletando as gargalhas
como folha ao vento
fazendo passarada.
É risada que nasce de manhã,
fazendo cócegas nas orelhas
é poesia, dia e noite
poesia é, de noite e dia!


Abraços, flores e estrelas...

Formas do Dizer disse...

Suave como suas palavras. Adorei. Parabéns.

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana,

delicadeza poética e criatividade se mesclam em seus adoráveis versos e a imagem... Perfeita ! Bj.