* Do interior *

fonte da imagem : google- sem informação de autoria

súbito estrala
o som dos meus sonhos
perscrutam os seus
um brilho de pérola
perpassa a menina
dos meus olhos
que observa calada
o rio aflito das horas

soube do amor
provado em gomos
laranja lima
em tempo amargo
do que fomos
paladar distante e raro

Úrsula Avner

10 comentários:

Adriana Godoy disse...

Um momento inspirado, triste, profundo e belo. Beijo

Lara Amaral disse...

Lindo, Úrsula! Apesar do árduo, do amargo, sua palavras transmitem leveza.

Beijo!

Mirze Souza disse...

Úrsula!

Belíssimo , embora doloroso. Vai passar, lembre sempre dessa frase nas horas de maior tristeza.

VAI PASSAR!

Beijos

Mirze

Wania disse...

Úrsula

Mel virando fel...

Versos auscultados de um coração ferido...tristes, mas de um realismo poético muito lindo!



Um bj e uma rosa... branca, da cor da paz!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Repito maravilhoso, demais os teus versos!

beijos

Assis Freitas disse...

"tudo no mundo é frágil, tudo passa',


beijo

Albuq disse...

Úrsula, achei tão lindo... até o que é triste, tem seu fio de beleza. bjs

Erica disse...

O rio aflito das horas
que se demoram numa ampulheta estreita
A prolongar as dores
De uma aflição
corrosiva, distante
E ingente

Fios de areia que correm
Lágrimas que rolam
Vidas carcomidas
Em um ácido básico
Contradições
Um estar entre a bigorna
E um materlo severo

P.S. Permiti-me pegar o gancho de sua inspiração, tão contudente, e fiz esses versos... Você escreve como se derramasse a alma... Bravo!

Adriana Karnal disse...

Ürsula,
Über poeta.

Daniela Delias disse...

Belo, Úrsula...