DESCONVERSO

Tela de Pablo Picasso


Eu te faria um poema
Mas você foi embora
Carregou alguns versos
Remendei o que podia
Nem era nada de amor
Ou algo parecido
Só escreve assim quem é poeta
Sou só meia
Tigela
Nunca cheia
Vejo tudo da metade
Vazia
Minha mistura orgânica
Dá sempre nisso aí
Revelia

Se eu olhasse nos seus olhos
Não diria jamais não
Para o meu corpo não me (a)trair
A você, não me dirijo
Só neste escrito
Que não é de amor
Nunca seria
Verdade
O que aqui não admito
Mentira
[Você pontua


27 comentários:

Livinha disse...

Mentira você pontua.

Sem palavras Lara
o que já não se mais discute...

Saudade de ti menina

Bjs

Livinha

Geraldo de Barros disse...

gostei ;)

beijo
G

tonhOliveira disse...

*
Voltei!
Sem conversa.
DEZ! ...com verso!

:)

Valéria Sorohan disse...

Se a mentira pontua, o ponto deve ser final.

BeijooO*

Ju Fuzetto disse...

Fantástico!!

adorei. bom final de semana!!

beijo

Assis Freitas disse...

mistura organica de sílabas, escrito remexido, ponto e pontual


beijo

Adriana Godoy disse...

Beleza, Larinha! Bj

Zélia Guardiano disse...

Lindeza, minha querida Lara!
Como você é hábil com as palavras, menina...
Demais!
Enorme beijo, amiga!

Mirze Souza disse...

Lara!

Acho que você falou por todas as mulheres do mundo. Estou nessa!

Lindo e firme!

Beijos, poetisa!

Mirze

Lua Nova disse...

É... não é de amor... ainda bem que nem é poesia... normal...
É revelia... coisas de Lara Amaral...

Beijokas, minha poetiza menina!
Vc é genial!
Desculpe a rima pobre... de meia tijela, sou eu... rs
Um lindo fds pra vc.

Solfejando poesia disse...

Delícia!!
Ando precisando ler coisas assim... a revelia!

beijos, querida!

Úrsula Avner disse...

Show Larinha... Aprecio muito seus poemas e seu estilo peculiar de escrevê-los... Beijão.

Marcantonio disse...

Pontue-se, então, com reticências, não ao amor, que nunca caberá num poema e terá um parágrafo real só para si, mas ao próprio poema cuja ilusão jamais poderá ser considerada inverídica; cuja verdade jamais poderá ser contestada.

Parece uma sensível reflexão sobre a presença do autor (e seus pronomes) no texto.

Um beijo, Lara.

Carol Timm disse...

Larinha,

Desconversemos... para mudar o rumo da prosa para a poesia onde ausência de pontuação permite muitas entre(conversas)linhas.

Beijos, menina!!
Carol

angela disse...

Contradições de quem está entregue.
Lindo poema.
beijos

Lis disse...

Um lindo poema Lara
parabéns
descobri grandes escritoras nessa festa de amigo secreto.
"desconverso" , porque nao precisa mais palavreas, rs
abraços

Márcio Ahimsa disse...

Neste verso oco,
aqui mesmo, onde arranho
minha mania de lavoro,
arranco as minúcias,
atravesso, meu bem,
mas não fujo,
não fujo, apenas
interropo um dia após o outro.
E na noite sem sorte,
e no caos imperfeito de mim,
estrangulo o verbo
e o faço tossir.
Depois, só depois percebo
que assassinei várias palavras
e as joguei nessa vala
interminável de verso...
É onde rezo um terço
ao fim obscuro do mundo,
onde captei mais que palavras,
captei o instante da vida
fragmentada de crueza e pó.

Beijo, querida, adoro seus poemas.

Lalo Arias disse...

Acredito, mas devo estar redondamente enganado, que é com essas desconversas que vocês, mulheres poetas, nos explicam QUASE tudo.
Beijão, Larinha.

nydia bonetti disse...

Lara! Fiz uma leitura totalmente inversa, dessa sua desconversa...
Você fez o poema. E ele é pleno. O recado foi dado. E ponto :) lindo! beijos.

Cris de Souza disse...

mesmo que desconverse, sempre caio na sua lábia...

divina!

beijo, lindura.

Daniela Delias disse...

Lindo, lindo. E ponto.
Bjos, carinho imenso.

Andrea de Godoy Neto disse...

Lara, tu "desconversa" como ninguém...
e o final é genial, diz tudo pra quem sabe ler

beijos, poeta linda!

José Carlos Brandão disse...

Lara, então a poesia é uma desconversa?
Com toda a beleza
e dor nela imersa.

Parabéns, Lara.
Beijos.

A. Reiffer disse...

Belo, lírico, criativo! parabéns!

Lou Vilela disse...

Lembrou-me "Todas as Cartas de Amor são Ridículas". ;)

Beijos

Hercília Fernandes disse...

Belíssimo, Lara.
Me vi/senti em seus lindos (descon)versos!
Amei o poema!
Um beijo,
H.F.

Lily disse...

Lara,

Que bom passar aqui, agora, e ler isso... feito para mim. Você pegou as palavras que voavam na minha mente, juntou-as, organizando tudo para mim. Fez o que eu não fiz. O que eu deveria ter escrito e não consegui, sequer consegui pensar no assunto, tratei logo de afastar da mente, feito uma mecha de cabelo para o lado... ihh! já está você me inspirando, ai meu Deus! Já é tarde, estou cansada, quero tomar banho e dormir... e você me inspirou por segundos intensos...

deixa, não vou continuar, vou colar isso nas minhas páginas, amanhã escreverei algo bem doido, doído, mas absolutamente verdadeiro. E, vou pensar se te peço para postar teu texto lá na minha casa.

Fui, Lara! Você tem o dom comigo.

Beijos,

Suzana/LILY