Figos cristalizados...





Ela faz doce de figo
despeja a tristeza e as frutas
todas no tacho
Raspa a colher de pau em círculos
Com a delicadeza de quem afaga
Voltas e voltas
também dá seu pensamento
o vapor quente que se desprende
é névoa fina embaçando a realidade
no movimento lento
lembra dos corpos fundidos
nas tardes mornas daquele novembro
perfeitas engrenagens
azeitadas em suor e saliva
aumenta o fogo
incendeiam-se
a pele nunca queima
acelera o ritmo
apura o doce
o aroma da fruta se desprende
seu cheiro a beija em silêncio
seus olhos a descascam inteira
sua boca faz trilha nos montes
suas mãos juram-se no infinito
o ponto final se aproxima
mexe o tacho com mais força e rapidez
mais e mais e mais
derretem-se em um só
derramando-se pelas beiras
apaga o fogo
esfria o tacho
apronta o doce
em finos cristais de açúcar
passa cada figo
cada lembrança
cada arrepio
cada beijo
cada jura
passa também seu coração
cristalizando tudo
nos doces vidros da memória

(Wania Victoria)



43 comentários:

Mírian Mondon disse...

Wania querida que doce fusao de lembranças deliciosas!
Parabens por esse poema original, perfumado de fragantes sensaçoes.

beijos
Mirian

myra disse...

voce superou a voce mesmo com este poema!!!! é simplesmnte FORMIDAVEL!!!!
um milhao de beijos, minha linda Wania!

Zélia Guardiano disse...

Lindo, Wania querida!
Aliás, mais do que lindo!
Adoro poesias que abordam esse tema! Tanto, que estou preparando um livro intitulado "Pêssegos em calda"...
Grande abraço e beijinhos.

Luciano A.Santos disse...

Mais um lindo poema da Wania. Recordei minha infância, na casa de meus avós, onde havia sempre uma disputa acirrada entre meus primos e eu para ver quem ficava com a "rapa" do tacho. Bons tempos.

Carla Farinazzi disse...

Querida Wania, seu poema é maravilhoso, me trouxe tantas recordações boas...

Enxergamos o que você escreve. Perfeito.

Beijos

Carla

Noslen ed azuos disse...

Apaixonante doce Wania!

Que delícia de poema, nada melhor que doce e sexualidade!

Bjin
☻ns

Mirze Souza disse...

Delícia de Poema!

Lindo, Wania!

Adoro figos, e você aprontou nesse doce. Usou todos os ingredientes.

Beijos e parabéns!

Mirze

P.S. O Bar Do Bardo Faz Hoje uma divulgação da Obra UNIVERSOS FEMININOS

Lara Amaral disse...

Adorei te reler!

Beijo, linda!

lis disse...

Parabéns Wania
lenbranças que só nos traz saudades!
deixo beijinhos

Marcio Nicolau disse...

De dar água na boca.

carmen silvia presotto disse...

Wania, parabéns pelo poema. Uma receita poética que com belas metáforas remexe nosso imaginário.

Um abraço poético e gostei tanto que vou compartilhar em Vidráguas.

Carmen Silvia Presotto
www.vidraguas.com.br

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Fisgado figo... :)

Úrsula Avner disse...

Querida Wania,

muito gostoso poder reler esse adorável poema onde cada verso nos faz imaginar a cena do doce sendo moldado, assim como a vida em cada momento... Bj com carinho.

Francy´s Oliva disse...

Acredito que fiquei com vontade...
bjs

Wania disse...

Mírian!

Eu é que agradeço a tua presença sempre tão carinhosa. Feliz que tenha gostado...


Bjs, minha querida!

Wania disse...

Myra


Agradeço de coração as tuas palavras!
Sempre um grande estímulo para minha escrita.

Bjão, amiga!

Wania disse...

Zélia

Vindo de ti, eu considero um empurrão e tanto, minha amiga!

Eu tb gosto demais destes temas, e a-d-o-r-e-i o nome do teu livro, vai fazer sucesso com certeza, pois a "doceira" és tu!

Bjnhos

Wania disse...

Oi, Lu querido!

Nós e as nossas lembranças....coisa boa era lamber a panela mesmo...rsrsrs!

Bom te ver por aqui,
Bj imeeenso

Wania disse...

Carla

Puxa, que bom saber disso!
Obrigada pela presença e pelas palavras incentivadoras!


Bjssss, amiga

Wania disse...

Obrigada, Nelson

Esta receita sempre dá certo...



Bjinho doce pra ti

Wania disse...

Mirze

Usei o que tinha na despensa...rsrsrs!
Eu tb adoro figos! ;)))


Obrigada, amiga!
Bjinhos mil

Wania disse...

Larinha

Tu estás sempre presente e eu adoro isso!


Tu tb és um docinho,
Bjssssss

Wania disse...

Lis

Traz uma saudade boa, se é que se pode chamá-la assim...


Obrigada por vir e comentar!
Bjks

Wania disse...

Oi, Márcio


Isso já é um bom começo... ;)


Agradeço a tua presença aqui,
Bj grande

Wania disse...

Oi, Carmen

Prazer em te conhecer! Mais contente ainda em saber que somos da mesma cidade.

Obrigada pelas palavras carinhosas a respeito da minha poesia e por compartilhá-la no teu espaço: Vidráguas. Fiquei muito honrada e agradeço de coração a oportunidade.
Espero que isso possa ser o primeiro passo em direção de uma grande amizade.



Bjs

Wania disse...

Francisco querido!


Literalmente fisgado figo! ;))))


Bjinhos

Wania disse...

Úrsula

Tua presença e opinião são sempre muito importantes pra mim. Agradeço a presença constante...


Bjão, querida!

Wania disse...

Oi, Francys

Todas as vontades podem ser saciadas... ;)))


Bjs

carmen silvia presotto disse...

Wania, já está em Vidráguas esta bela receita poética, e também o link do blog, assim seguimos cruzando versos e leituras.

Um abraço carinhoso e obrigada pela companhia.

Vanessa disse...

Wania , que delícia. Deu pra sentir o gosto do doce.

beijos

Solange disse...

Wania...

ico sempre impressionada com essa capacidade fantástica que tem com as palavras... acho que este é um de seus melhores textos...

senti o sabor, o suor, a sede, a mágoa, a saudade... senti, senti, senti... nos figos dela e nos de todas nós...

uau.

beijos carinhosos

Renata Luciana disse...

é de lamber os dedos,
saborosas palavras. O figo fruta das minhas.

Bjos!

afonso rocha disse...

Wania
Adorei o poema...não fugindo à conotação do figo ser afrodisíaco.
Aconselho tb a comê-los como entrada...pretos...grandes e maduros...com a massa interior a desfazer-se...acompanhado de duas ou três fatias de presunto reseva de Parma...e um bom branco-seco de Bucelas...ou então...um branco de casta moscatel...da península de Setúbal (Portugal).
É de ficar cristalizada!
Beijo

Batom e poesias disse...

Por algum motivo que desconheço, esse poema me fez chorar.

Mole como sou, provavelmente eu faria figos em caldas, só para me derramar...

Isso é demais.
beijos
Rossana

Wania disse...

Obrigada, Carmen

Vou seguir aocmpanhando o teu Vidráguas! Aproveito para agradecer as palavras de carinho e incentivo que recebi por lá!

Bjs, querida!

Wania disse...

Vanessa querida!

Que bom te rever por aqui!
Obrigada pela presença e pelo comentário.

Bjs, amiga

Wania disse...

Solange

Todas nós temos os nossos figos...

Agradeço de coração as tuas palavras que vindas de ti, mulher de tanta sensibilidade são um elogio imenso para mim!


Bj carinhoso pra ti e parabéns pelo sucesso dos livros, não esperaria nada diferente conhecendo a tua escrita!

Wania disse...

Oi, Afonso

Que bom que gostaste da minha poesia, fico feliz por isso, obrigada!

Quanto a tua receita, vou experimentar, com certeza e em boa companhia, afinal os figos se prestam para isso... cristalizada ficarei, prometo! ;))))


Bjinho terno

Wania disse...

Rossana querida!


Ahhhh, estes corações...ops, figos! Rendem lembranças e melhores doces. Nem sei como consegui cristalizar, sou tb uma manteiga derretida...

Obrigada por estar sempre presente, tua opinião tem muito peso pra mim!


Bjão, amiga!

Wania disse...

Doce Renata!


Que delícia de comentário...amei!


Obrigada pela doçura das tuas palavras!
Bjsssssssssss

Hercília Fernandes disse...

Ela faz poesia, Wania.
Suas mãos são de fada [e de bruxa também...], nos leva a experimentar os sabores das emoções, da vida cotidiana e profundezas da alma.

Beijo com carinho,
H.F.

Wania disse...

Obrigada, Hercília


Tuas palavras são sempre um grande incentivo para mim, pode ter certeza!
Agradeço o carinho de sempre, minha amiga!


Bj imeeenso

Lou Vilela disse...

Belo, elegante, delicado... - combinação não rara em teus versos.

Beijos