Como veem as palavras

Se te trouxesse em palavras seria de barco
ou te traria a pé...
dada a cor da tua pele
que é dura da terra da cor dos teus.
Não, não...te traria mesmo de barco
Tua língua arranhada quando falas amorrr,
diz-me de onde vens-Namor-
Se as palavras aproximassem os poetas
viriam sempre de barrrco.

15 comentários:

Lara Amaral disse...

Embarquei nessa tbm, junto com suas palavras.

Poetas e versos: sempre à mercê das ondas.

Beijos, poetisa!

meus instantes e momentos disse...

muito bom.
Maurizio

Adriana Karnal disse...

Lara,
adoro os poemas de mar, ainda mais com sotaque. gostei muito do comentário,obrigada,querida.

Adriana Karnal disse...

que bom que gostaste,obrigada, Maurizio.

Nydia Bonetti disse...

Que imagem bonita, esta do barco dos poetas, Adriana. Seria uma festa de sotaques. Com todos os "erres" e "esses", como convém aos poetas... e aos amores. :)

beijo!

Mar Arável disse...

A pronúncia

dasescarrepas

Marcelo Novaes disse...

Adriana,



E como imantas, tão
bem, nau e travessia,
o barco mal arranha a
água.



Beijos, amiga.





Marcelo.

Maria Clara disse...

Adriana,

seu texto fez-me lembrar do Profeta Gentileza que escrevia a palavra Amor com a letra "r" em tríade.

Belo poema, minha querida, e a imagem do último verso é maravilhosa. As palavras & as coisas aproximando poetas em uma linguagem alada marejada de poesia; isso é abundantemente encantadorrr.

Um beijo :)
Hercília.


Obs.: Vim como Maria Clara porque estava vendo as configurações do blog para ver se achava esse erro com a opção "programação de postagens".

sopro, vento, ventania disse...

Adriana, fiz muita viagem e fui parar em Clarice (Lispector) no jeito da fala dela (puxando o rrrrrr) e enrolando tudo no bom sentido da mistura. Adorei o jogo de palavras que mistura tudo e faz crescer. bjs.

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana,

interessante poema num jogo de palavras inteligente. Bj com carinho.

tonhOliveira disse...



Palavras 'porrrtuguesas' com cerrrteza!

Também embarrrquei!

Beij♥s!

Mirse Maria disse...

Lindo, Adriana!

Sotaques, accents erres e esses, sempre são bonitos em cada região, em cada poema!

Sempre nos surpreendendo!

Beleza!

Beijos

Mirse

Graça Pires disse...

Se viesse de barco era marinheiro ou apenas a onda que embala o mastro.
Um beijo.

Talita Prates disse...

adorei essa "brincadeira" com o som!
coisa de quem sabe!

bjo, Adriana. :)

[ rod ] ® disse...

seja diante do dito aqui ou ali... as palavras fluem de onde menos se espera... e quando brotam vem assim silenciosamente a nos guiar... bjs moça.