Tempo (quando eu fizer 40 anos)

A mim que desde a infância venho vindo
como se o meu destino
fosse o exato destino de uma estrela
apelam incríveis coisas:
pintar as unhas, descobrir a nuca,
piscar os olhos, beber.
Tomo o nome de Deus num vão.
Descobri que a seu tempo
vão me chorar e esquecer.
Vinte anos mais vinte é o que tenho,
mulher ocidental que se fosse homem
amaria chamar-se Eliud Jonathan.
Neste exato momento do dia vinte de julho
de mil novecentos e setenta e seis,
o céu é bruma, está frio, estou feia,
acabo de receber um beijo pelo correio.
Quarenta anos: não quero faca nem queijo. Quero a fome.


Este poema é de Adélia Prado. Achei muito oportuno para essa semana
que completo a idade emblemática dos 40 anos. Não tenho problema algum, aliás, em revelar minha idade. Estou entrando naquele momento de vida em que não se tem mais vergonha do mundo.

19 comentários:

Wania disse...

Descobri que a seu tempo
vão me chorar e esquecer.
Vinte anos mais vinte é o que tenho,
(...)
Quarenta anos: não quero faca nem queijo. Quero a fome
.

Adriana, a maturidade, apesar de nos fincar mais no chão, não nos tira a capacidade de colher estrelas, mas o apetite depende de cada um!

Lindo post, eu gosto muito de Adélia!


Aproveito para te deixar um super abraço cheio de amor, saúde e harmonia e o meu desejo que a tua fome de estrela seja sempre muito, muito grande...

Bjs

BAR DO BARDO disse...

Parabéns. Eu já tenho 44... Num dói não ...

Adriana Godoy disse...

Xará, belo poema pra homenagear os quarenta. A fome de viver é que manda em qualquer idade. Então, parabéns, e que seu apetite pela vida seja cada vez maior. beijo.

Adriana Karnal disse...

Wania,
Agradeço deamis teu carinho.Obrigada mesmo!

Adriana Karnal disse...

Bardo,
Pois é, vi q não dói.FAz cosquinhas,rs...

Adriana Karnal disse...

Adriana xará...
Agora que sou quarentona minha fome está duplicada, ai q meda!!!

Fatima Cristina disse...

Oi Adriana!

Achei ótimo!
É seu aniversário?
PARABÉNS! Tudo de bom e de gostoso!

"Quarenta anos: não quero faca nem queijo. Quero a fome..."

Agora sei porque sempre vivo fora do peso! rsrsrs

Mar Arável disse...

Bem-vinda ao clube

dos entas

Talita Prates disse...

Adoro a metáfora da fome.

Adélia é sempre! uma ótima pedida.

Parabéns desde já, Adriana.
Feliz.idade pra vc!

:)

Lara Amaral disse...

Poema maravilhoso! Eu, com 22 anos, ao lê-lo, só penso que não sei de nada mesmo.

E 40 anos, Dri? Que beleza. As mulheres desta geração estão envelhecendo cada vez mais tarde. A maioria das minhas poetisas queridas da internet tem mais de 40 e só esbanjam beleza e juventude. Tomara que eu chegue lá assim: amadureça por dentro e rejuvenesça por fora.

Parabéns e um grande beijo!

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana,

Parabéns pelo aniversário ! Quero lhe desejar muitas felicidades e espero que vc possa curtir essa fase de maturidade com muita disposição física e emocional. Quanto ao poema da Adélia, é bem oportuno e belo... Adoro a escrita poética da autora.

Bj com carinho

Mirse Maria disse...

Lindo Adriana!

A escolha de Adélia, foi ótima.

Mas saiba que é aos 40 anos que se começa a viver.

O ideal seria que a qualquer idade pensássemos como aos 40.

Parabéns!

Beijos

Mirse

Hercília Fernandes disse...

Belo e apropriado poema, Adriana.
Excelente escolha!

Adélia, com seu dizer poeticamente preciso, desvela a alma feminina em suas especificidades e aponta para os mitos que se formaram em torno dos ideais de mulher ocidental.

Mas é como você corajosamente elucida: na maturidade não se deve ter receios, sobretudo submissão a padrões então estereotipados.

Parabéns pelos 20 + 20, que venham mais 40!

Forte abraço e muitas felicidades, minha querida.

Hercília.


Obs: Ainda estou na casa dos 30, mas breve estarei nos 40 e não temo essa passagem. Cada primavera contém a sua beleza.

Cadinho RoCo disse...

Pois eu também não tenho nenhum problema em revelar minha idade, até porque tenho a séria desconfiança de que o tempo não existe.
Cadinho RoCo

Lou Vilela disse...

Adorei a escolha do texto, Dri!

Um Feliz Aniversário procê!

Beijão

Fred Matos disse...

Acho que sou o mais velho daqui: 57 nos costados, mas é como diz o Bardo: não dói.
Parabéns, Adriana.
Beijos

Adriana Karnal disse...

Queridos,
quero agradecer a todos pelo carinho demonstrado em meu aniversário. Como disse no meu blog, a virtualidade é chata, gostaria de receber os votos presencialmente.

Hneto disse...

Saudações poéticas!

Nydia Bonetti disse...

Adriana,

hoje a vida começa aos 50. Você está ainda sendo gerada. Eu sim, uma recém-nascida. :)

beijos!