lobos

imagem do google


quando lobos da cidade com seus olhos de neon
sobem solitários a ladeira fria do bairro
mesmo que não tenha lua e a noite seja de ventos
pensam em suas vidas na fumaça e no uísque que deixaram nos bares
nas mulheres que beijaram e juraram ser únicas
pensam que amanhã pode ser diferente mesmo sabendo que não
entram em casa e olham suas mulheres
dormindo amassadas e quase puras e os filhos no quarto ao lado

esses lobos viram anjos subitamente
vestem a camiseta branca e escovam seus dentes
como a limpar os restos do pecado
desejam bons sonhos em silêncio
se enroscam em suas mulheres sob o edredon macio

à noite se esquecem e voltam aos lugares perdidos
beijam mais mulheres e bebem mais uísque
marcam seu território com mãos, línguas e histórias inventadas
e a lua aparece azulada e tímida
esses lobos uivam e seus olhos são de neon

14 comentários:

Lara Amaral disse...

Como esquecer esse poema? Muito bom!

Beijos!

Marcos Satoru Kawanami disse...

é triste, mas é verdade.

beijos

sopro, vento, ventania disse...

é lindo, Adriana. Desses que têm milhares de significados.
um beijo,
Cynthia

Anita Mendes disse...

drika + lobos= combinação perfeita! muito bom (re )ler.
beijokas

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana, um poema rico no tema e na construção poética, com elementos oníricos e surrealistas que apontam para as questões dos gêneros masculino e feminino e suas relações. Muito bem bolado ! Bj.

Danilo de Abreu Lima disse...

adriana,
o homem é o lobo do homem e uiva nas estepes e açoita a lua com suas garras curvas... o homem, nós todos, são lobos de nós mesmos- e vamos nos devorando as próprias entranhas- somos personas estranhas a nós mesmos no escuro da noite e no soturno das horas- e gastamo-nos e gostamos- de nos perder nos outros imaginando que estamos a usufruir o tempo: o sentimento, o amor, dorme, recôndito, calado, num canto do quarto, no sorriso do filho, no hálito de hortelã.. mas cadê a vontade de se atirar assim, inteiro, a ele?

abraços, poeta-
dan.

Talita Prates disse...

Valeu a pena reler, Dri.

Um bjo grande.
Paz.

Adriana Karnal disse...

Adriana,
REalmente, adoro esse poema, adoro essa lteratura que remete ao insólito como o uivo dos lobos e as noites frias...leste o lobo da estepe do Hermann Hesse?

Lou Vilela disse...

O homem e os seus lobos...

Valeu a pena reler!

Beijos

Hercília Fernandes disse...

Belo poema, Godoy.

Seus lobos olhos de neon compuseram uma bela pintura humana aqui no Maria Clara.

Um texto forte, como é próprio de sua produção poética, que nos faz pensar nas coisas que perpassam o cotidiano.

Mais uma bela escrita. Parabéns, minha querida!

Beijos :)
H.F.


Obs.: Desculpe-me o atraso, ainda estou envolvida com processos seletivos & afins...

Adriana Godoy disse...

Agardeço mais uma vez a leitura e comentários de todos. Beijos.

Karnal, já li sim, mas há muito, há muito tempo mesmo. Bj

dade amorim disse...

Um ícone, o lobo de olhos de neon.
Muito bom mesmo.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

poema de sedução e beleza

naruto disse...

os lobos são criaturas muinto mais muinto façinantes