Meu Sertão

.
Por-do-sol no Sertão by Kalila Pinto


naquela terra árida
jazia uma semente
regada quase sempre
à lágrima curtida

mal sabia eu
que no céu floria
em divina sintonia
flor de mandacaru

meu sertão, preso na garganta
enquanto dura a pena
pare versos


Lou Vilela

.

* Publicado originalmente em 20/12/08 no blog da autora.

.

16 comentários:

Mirse disse...

Uma semente regada à lagrima que floria no céu em divina sintonia!!!

Belíssimo Lou!

Sáo mesmo você, nossa flor, para encantar com seus versos esse espaço!

Parabéns!

Beijos

Mirse

Maria Clara Pimenta disse...

Lindos versos, Lou.

Parabéns por sua sensibilidade e verdade na expressão dos sentimentos:

"meu sertão, preso na garganta
enquanto dura a pena
pare versos"

Um grande abraço, minha CARA!

Maria Clara.

Hercília Fernandes disse...

O sertão é belo em suas singularidades.

Em seus versos, Lou, sentimos o universo emotivo-paisagístico que comporta a alma do nordestino.

Lindo poema. Escolha muito apropriada, minha cara!

Beijos,
H.F.

Taninha Nascimento disse...

Menina!

Que pena afiada!!

Lindo por demais!!!

Parabéns, Lou!!!!

Beijos,
Taninha

BAR DO BARDO disse...

assim a terra compactada ao extremo...

Jaquelyne A. Costa disse...

Lindo!!Lindo!!!
Nosso sertão é muito poético também...inspira tesouros como esse!!

Beijos=*

Adriana disse...

imagem sertaneja duríssima.

Lou disse...

Meus caros,

Agradeço pelos gentis comentários! É sempre um prazer ter contato com essa diversidade de olhares.

Um grande abraço,
Lou

ADRIANO NUNES disse...

Lou,

Lindo poema!


Adriano Nunes.

mariab disse...

bela expressão poética. adorei!
beijos

Lou disse...

Adriano e Mariab,

Fico feliz que tenham gostado! :)

Abraços,
Lou

Úrsula Avner disse...

Lou querida , sua sensibilidade é sem tamanho... Belo poema ! Meu carinho

Taninha Nascimento disse...

A Lou, Mirse, Maria Clara, Hercília Fernandes e a todas as Mamães da blogosfera, mais um Dia Feliz!!

Beijos e abraços,
Taninha

Compulsão Diária disse...

Seu sertã preso na garganta na minha mão mandacaru em divina sintonia;))

Graça Pires disse...

"meu sertão, preso na garganta
enquanto dura a pena
pare versos". E versos muito belos...
Um beijo Lou

Maria Clara Pimenta disse...

Taninha,

muito obrigada pelos votos.

Aproveito e agradeço também a todos pelas visitas e comments à bela poesia de nossa querida Lou Vilela.

Beijos,
Maria Clara.