INVISÍVEIS CAMINHOS








Invisíveis caminhos








Suspensos no ar...








Somente aos pássaros








Cabe enxergar








Há trilhas nos rios








Que o homem não alcança








Invisíveis ao seu saber








Só os peixes podem ver








Há buscas no ar








Onde nuvens escolhem rumos








Os homens, diante dessa magia








Impotentes compõem:



S I M P L E S M E N T E
P
O
E
S
I
A







22 comentários:

Maria Clara Pimenta disse...

Lindo, Mirse!

Bonitos os seus Invisíveis Caminhos. Simplesmente Poesia!!!

Você nos traz um excelente texto meditativo, cheio de imagens de sonhos. E, ainda, homenageia o poeta.

Não sou poeta, sou admiradora da boa poesia, porém senti a homenagem. Obrigada!

Muito belo, vc arrebentou na composição!

Forte abraço,
grande Mirse!!

Maria Clara.

Mirse disse...

Maria Clara,
Fico sensibilizada que tenha gostado.

Boa ou não, foi com muito carinho que contribui para este espaço.

Obrigada

Beijos

Mirse

Maria Clara Pimenta disse...

Mirse, não fale assim... o poema é muito lindo!

A simplicidade é uma jóia que somente os grandes possue.

Você mostra essa beleza rara aqui.

Novamente, PARABÈNS!

Hercília Fernandes disse...

São os mistérios da existência que nem sempre somos capazes de compreender.

Seus versos, Mirse, lembraram-me do poema do Romério, transcrevo um fragmento:

"eu faço poesia
porque a vida não basta
e preciso dividir mistérios..."

(Rômulo Romério, in: Para Renata).

Você, nesses caminhos invisíveis, nos aguça os sentidos para esses mistérios.

Belo poema, Parabéns!
H.F.

Mirse disse...

Obrigada Hercília!

Voce é muito querida!

Meu carinho e gratidão!

Beijos

Mirse

Taninha Nascimento disse...

Olá, Mirse!

À poesia cabe o não cabível ao nosso falar e olhar e sentir...

Nós humanos, somos potencialmente impotentes diante de muitos dos mais belos e invisíveis caminhos mesmo.

Belo poema Mirse!!

Grande abraço.
Taninha

Mirse disse...

É verdade Taninha!

Obrigada pelo comentário e por sua presença!

Beijos

Mirse

Úrsula Avner disse...

Mirse, parabéns pelo lindo poema, delicado ,expressivo ! Bjs a todas do blog.

Mirse disse...

Obrigada Úrsula!

Feliz com sua visita, agradeço
O carnho
o comentário.

Grande abraço

Mirse

Lou disse...

Mirse,

O poema foi contruído com uma linguagem límpida e encantadora e nos apresenta uma perspectiva própria de um esteta. :)

Abraços,
Lou

O empírico disse...

O silêncio que grita...

Mirse disse...

Lou, obrigada, amiga!

Fico feliz que tenha apreciado.

Neu carinho e gratidão.

Beijos

Mirse

Mirse disse...

Amigo de "O EMPÍRICO"

Grata pela presença e comentário!

Abraços

Mirse

Adriana disse...

de uma bela singeçeza.

Adriana disse...

oops...singeLeza

Mirse disse...

Adriana, é sempre muito bom sua opinião!

Agradeço e fico feliz pela visita e comentário!

Beijos, amiga


Mirse

Graça Pires disse...

Simplesmente poesia. É o que aqui se faz por caminhos misteriosos.
Um beijo.

Mirse disse...

Graça,

Você é a verdadeira amiga dos caminhos invisíveis trilhados por esse grupo.

Fico muito feliz com seu comentário e sua presença!

Beijos

Mirse

casa da poesia disse...

..."há trilhas nos rios...que o homem não alcaança"...!!!lindo!...e...para as princesas...

"aetas:Carpe Diem quam minimum credula postero"

Adriana Godoy disse...

Que beleza! Que sensibilidade. Parabéns, Mirse. Beijo.

Mirse disse...

Queridos amigos da 'Casa da Poesia",

Sensibilizada, agradeço o carinho e a presença neste espaço.

Um forte abraço!!

Mirse

Mirse disse...

Adriana, anjo !

Agradeço sua presença e comentário, que contribuem para o enriquecimento do "Simplesmente Poesia"

Beijos amiga querida!

Mirse