Fluidez

.


Acordei com o sal da palavra.
Logo hoje, dia de deslembrar,
Invade-me traçado
Um corpoema.

Acordei com o sal da palavra.
Toda a metáfora liquefeita
Entre os vãos
De minhas coxas,
Vontade de escorrer
Sem margens.

Lou Vilela in Nudez Poética


.

8 comentários:

Lou Vilela disse...

Uma excelente semana a todos! ;)

Bjs,
Lou

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Se és.correr, vais longe... :)

Belíssimo! :)

Luiza Maciel Nogueira disse...

que delícia de poema, escorre como água

beijos

Francy´s Oliva disse...

:) Uma linda semana para todos.

PS. quero parabêniza-las pelo livro maria clara universos feminino. A Lunna me apresentou ele(rs) adorei ele é de um excelente bom gosto e os poemas são lindos.
bjs.

Úrsula Avner disse...

Oi Lou ? Que posso dizer ?

Belíssimo poema !!!!!!! Show ! Beijão.

Adriana Godoy disse...

Bonito demais, Lou. Umedece a alma. Beijo

Sam disse...

fui-me
nesse sal de lãgrimas
nesse mar
com gosto de sol.

Lou, que lindo!

Meu carinho,
Samara Bassi

Lou Vilela disse...

Caríssimos,

Obrigada pela leitura e pelos gentis comentários! ;)

Beijos

------------

Francy's,

Alegra-nos que tenhas gostado do livro. É resultado de um esforço conjunto e de muita dedicação, com destaque para o trabalho de Hercília que dirigiu e coordenou tanta diversidade.

Beijos, querida!