vento de agosto

paisagem/ rafael godoy

as luzes da cidade acenderam a noite
e estou do outro lado

penso quando não pensava no tempo
e tinha sempre uma lua inventada

os pássaros escuros varrem os insetos
este espaço é muito vasto

o vento de agosto entra no meu quarto
não ouço o seu barulho
sinto suas mãos frias
e a noite acesa do outro lado

me escondo no escuro
a imensidão fica pequena

quero fechar as janelas
mas a lua é imensa
levanto-me no vento
e me curvo às suas frases de pedra

16 comentários:

Chica disse...

Maravilhosos e inspirados ventos e imagem!beijos,chica

Lou Vilela disse...

Belos - texto e imagem! ;) Gostei bastante!

Beijos

Talita Prates disse...

Muito bom, Adriana.
Gosto muito da poesia que você extrai do cotidiano.

Um bjo!

Talita
História da minha alma

Mirze Souza disse...

Maravilhoso, DRI!

Sempre viajo em seus poemas. Neste, me curvo também, não às frases de pedra, mas à imagem poética que você sempre consegue passar.

Beijos

Mirze

Lara Amaral disse...

Ah, poema esculpido, talhado nas linhas da noite.

Beijos.

Felipe da Costa Marques disse...

os ventos declamam,
ainda mais em Agosto,
na tua mais bela poesia voadora...

beijos do seu fã! Felizpe!

Luiza Maciel Nogueira disse...

bonito demais, pedras ao redor.

bjs

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana,

amei o lirismo apurado e bem versejado do seu texto... Pura poesia. Bj.

A.S. disse...

Adriana...

Lindo poema! belas as imagens poéticas que o compõe...


BeijOOO
AL

Adriana Godoy disse...

Muito obrigada pelos comentários. Valeu mesmo! Beijos.

Albuq disse...

Linda sua poesia... ao ler seus versos, pude olhar minha rua com o olhar mais doce de poesia.

Hercília Fernandes disse...

Godoy,

o que acho incrível em sua poesia é que você nos leva a viver cada palavra, paisagem, sentido.

Um arrepio toca-me os sentidos diante lirismo tão intenso e verdadeiro.

Deixemo-nos vivenciar estes momentos sem os ditames do tempo: reinventemos as luas!

Lindo poema, minha amiga. Parabéns!

Beijos,
H.F.

Obs.: A aquarela do Rafael é igualmente bela!

José Carlos Brandão disse...

Impressionante seu poema, Adriana. É daqueles que dá vontade de dizer: poemaço! Dá vontade de falar do vento, das palavras de pedra, da solidão - mas o melhor de tudo, como deve ser num poema bom, é repeti-lo. Nada vale mais do que as palavras do poema. Falei impressionante porque fiquei impressionado.
Um beijo.

Rafael disse...

Ótimo, Adriana, adorei, muito inspirado.
Abraço

[ rod ] ® disse...

Quando o voo de uma idéia deixar a mente embotada pense que no escuro também se faz poesia!

Bjs moça.

Ana disse...

Ei..Adriana,tá lindo seu livro,
O poema tá d+,"quero fechar as janelas..mais a LUA É IMENSA.
E como ela é Grandiosa.
"Lembra-me de alguem especial"
Ele escrevia assim pra me...
-Pela lua encontrei teu olhar.
Puro,fatal,impossivel escapar.
Valeu..

Sucesso pra vc.

abçs

Ana Lgo.